Eduardo Tambellini revive memórias e dá aula de cobrança em novo livro

Todo homem precisa ter um filho, escrever um livro e plantar uma árvore. A Eduardo Tambellini só resta a tarefa que ele julga mais simples: plantar uma árvore, já que ele lançou a obra História de Cobrança: Um manual prático para a gestão de cobrança, pela Editora Letras e Cores há pouco mais de um mês.

A ideia de reunir 25 anos de experiência no mercado de recuperação veio de uma colega de trabalho, além do estímulo que recebeu também dos participantes de seus treinamentos e palestras. “Foi um processo de seis, sete anos de escrita, pois tive de fazer algumas paradas. Mas a revisão geral foi feita ano passado pelo Fernando Manfio e José Tosi”, comemora Tambellini.

Hoje um dos sócios da GoOn, empresa especializada em risco, Tambellini iniciou sua carreira no mercado como analista de crédito ainda em 1993. “Sou um apaixonado por cobrança. Passei por várias empresas e tive a oportunidade de estar em lugares chaves”, lembra.

Assim, o livro História de Cobrança é muito mais que uma obra de memórias. Em vez de tom saudosista, o especialista paulistano de 45 anos relembra suas experiências de forma lúdica, a fim de que as vivências sirvam de aprendizado para os leitores.  “O livro passa por todas as etapas da cobrança e conta histórias reais, em que remeto não só parte técnica, mas também a conceitual”, define.

Em uma das passagens, Tambellini conta que já pensava ter cobrado de tudo e aprendido tudo que era possível no mundo da cobrança. Porém ele estava enganado. “Logo que cheguei na GoOn, fui a Manaus fazer um projeto de utilities de água. Pensei que era fácil de cobrar, pois a água é vida para as pessoas. Porém, os moradores achavam que a água do rio e da torneira eram a mesma coisa. Eles não entendiam o que havia um serviço por trás do abastecimento.”

Depois de acompanhar de perto tantas evoluções no processo de cobrar inadimplentes – quando estreou no mercado, Tambellini buscava manualmente as informações cadastrais dos inadimplentes-, o especialista aposta que o futuro do segmento está no processo de desrobotização do ser humano, em que os atendentes terão maior autonomia para negociar e criar soluções para os consumidores com débitos em atraso. “Também há a questão da tecnologia sendo trazida. Empresas que não investirem vão morrer”, pontua.

No entanto, algo que não deve mudar na opinião do autor é a importância da cobrança como instrumento de relacionamento e recuperação de clientes. “Trabalhar na cobrança é aprender a se comunicar. Hoje tenho prazer em trabalhar, pois consigo ajudar pessoas, tarefa que faço com alegria”, finaliza.

Fonte: Blog Televendas e Cobrança

Eduardo Tambellini

Eduardo Tambellini

Sócio Diretor em GoOn
Graduado em administração de empresas pela Universidade Anhembi Morumbi, com 22 anos de experiência no mercado de risco, tendo atuado como gestor e responsável pela estruturação das áreas de crédito, prevenção a fraude, cobrança e formalização em grandes instituições como Fininvest, Banco GE, Panamericano, Brasil Telecom e também em empresas prestadoras de serviço como CSU, Almaviva do Brasil e Equifax. Atualmente é Sócio Diretor da GoOn a maior consultoria independente do mercado de risco do país.
Eduardo Tambellini

Comments

comments

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *