respiro-na-crise

A SERASA EXPERIAN, lançou um novo comunicado onde pela primeira vez desde dezembro de 2014 a inadimplência dá sinais de melhora. De Abril a Maio de 2016 são 1,3 milhões de inadimplentes a menos.

Segundo a SERASA, o consumidor inadimplente está dando prioridade para dívidas do dia a dia.

A informação da SERASA, pode ser confirmada se olharmos os indicadores de inadimplência do BACEN que mostra a evolução da curva de inadimplência acima de 90 dias de pessoas físicas, Recursos Livres.

Inadimplência de Recursos Livres – Fonte Risk Trends – GoOn

O último mês divulgado, mostra que a inadimplência de Jun/16 atingiu 6,3%, pior série histórica desde Jun/13.

Podemos entender que dívidas financeiras ainda sofrem com a crise, e por mais que concentrem juros mais elevados, neste momento, ainda não se traduzem na prioridade de pagamento para o público inadimplente, que frente a decisão de ter a luz, água ou gás cortados optam por quitar primeiro estas dívidas.

 

E como vem se traduzindo este movimento de recuperação do crédito? De onde vem o dinheiro para quitar as dívidas? Segundo a SERASA são dois os locais de onde vem o dinheiro. Novo acesso ao crédito e uma retirada da poupança que de Jan a Jun de 2016 tiveram R$ 42 Bi em saques.

Quando olhamos os indicadores sobre o crescimento do crédito pessoal, podemos perceber que a queda no volume de concessões iniciada em Set/16, foi paralisada a partir de Jan 2016, e vem mostrando desde então um novo crescimento nos novos pedidos de crédito.

Crédito Pessoal – Fonte Risk Trends – GoOn

E neste cenário ainda de incertezas qual é o caminho para uma boa recuperação de crédito?

Atuação massificada é preciso sim, nos dias atuais não dá pra atuar sem ser de forma massificada, porém é importante que cada instituição credora avalie seus produtos de cobrança e entendam se as negociações estão servindo para resolver efetivamente o problema ou se elas estão simplesmente adiando um problema maior?

Se olharmos para o volume da carteira de créditos renegociados, percebemos um crescimento anual de 18,03%, por outro lado a inadimplência desta mesmo carteira cresceu no mesmo período 14, 56%.

Crédito Renegociado – Fonte Risk Trends – GoOn

É hora de revisar os processo internos, refazer a lição de casa, se colocar a prova, esperar menos do governo e olhar pra frente.

É fato histórico que as melhores soluções saem após uma crise, é hora de se lembrar disso e fazermos acontecer.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *